“Sozinhos vamos mais rápido, juntos vamos mais longe”

Quando escolhemos ficar mais tempo com os filhos, temos a expectativa e visualizamos antecipadamente os momentos que estaremos mais presentes, mais próximos, brincaremos juntos e interagiremos mais com eles. Conseguimos até sentir aquela paz e alegria de vê los mais tranquilos, calmos e felizes ao nosso lado e sem nos cobrarem tanto por não passarmos momentos com eles.
Porém, um tempo depois que estamos mais em casa, seja porque escolhemos esse como nosso local de trabalho ou por alterarmos  horários e afazeres, nos deparamos com uma situação beeem diferente daquela que tínhamos imaginado. Muitas vezes, acordamos para o que está acontecendo quando as crianças escancaram isso para gente, com berros, birras, manhas ou como o meu fez em tom de brincadeira. Perguntei para   ele “quem é a pessoa que eu mais amo no mundo?”, e ele respondeu “quem é a pessoa que só trabalha e nunca tem tempo para brincar comigo? A  M-A-M-A-E ” (ele esta aprendendo a escrever e ama soletrar).
Acabamos ocupando esse tempo que gostaríamos que fosse de integração, ligação, atenção e presença com várias atividades domésticas ou do trabalho, que também são importantes e essenciais, mas muitas vezes nos afastam do qual era o objetivo de estar mais tempo em casa.
Muitas dessas coisas que temos que fazer não podem ser deixadas de lado (e muitas podem…), mas exercitar a nossa criatividade possibilita que os filhos também sejam incluídos nesses momentos. Pode ser que não consigamos ficar o tempo todo brincando com eles, porem a participação deles nas atividades conosco, ao nosso lado, fazendo junto traz uma paz e uma conexão para os dois.
Depois que o Rafa chamou minha atenção (com total razão) passei a escolher , entre as atividades que realmente eram necessárias serem feitas, quais eu poderia fazer com ele em casa e com participação dele. Deixei o que é preciso maior concentração para quando ele não esta, e as coisas de casa pra quando ele esta junto, assim ele participa  das atividades (lavar roupa, a louca, arrumar a casa) e vamos brincando (quem coloca a roupa na maquina primeiro, encaixar as tampas dos potes, dar banho na louça…), cantando e conversando.  Quando ele está fazendo lição de casa, aproveito para pagar contas, pesquisar algum material para o Tempo Mágico. Assim podemos estar juntos e colaborar na realização das atividades.
Coloco a brincadeira como prioridade, pois nada que façamos juntos substitui a importância do brincar para a conexão entre pais e filhos e para o desenvolvimento deles.  Escolhemos do que vamos brincar, um dia é de Lego, outro de super heróis, outro de ler….E no final do dia, quando pergunto para ele o que achou de fazer as coisas comigo, mesmo que não sejam as brincadeiras, ele responde que adorou e que quer fazer de novo…Percebo que o importante é o “juntos”, e exercitar essa palavra nos aproxima mais de nossos filhos.
Share This

Gostou deste post?

Compartilhe!