Conversar é algo extremamente rico para ambas as partes, mas precisa ser construido dia-a-dia

Uma das coisas mais gostosas depois que seu filho começa a falar são as conversas que você pode ter com ele…
Saber um pouco mais sobre o que se passa naquela cabecinha, conhecer quem é seu filho de verdade, como ele pensa,  como ele percebe o que acontece à sua volta, o que mais chamou sua a atenção num passeio, suas memórias, seus sentimentos, seu ponto de vista (impressionante como ele fala coisas sob aspectos que nunca tinha pensado antes!)…
E quando começa a argumentar para obter algo? E o pior: e quando usa seus próprios argumentos contra você??kkk
Mas o que mais me surpreende (e diverte) são as incríveis teorias que ele tem para explicar tudo… às vezes são as respostas mais simples possíveis, outras ideias mirabolantes… eu fico “cutucando” para ele me explicar mais e mais sobre tudo e especialmente sobre o mundo que ele criou, como o de  um dragão vindo morar na nossa casa (“onde dorme?”, “o que come?”, “como vai passar pela porta?”, “ele vai para a escola?”, e por aí vai…)
Mas conversar não é algo tão simples quanto parece…envolve colocar em palavras suas ideias e sentimentos, ouvir, refletir sobre o que ouviu e formular uma nova resposta… não é a toa que muitos adultos não conseguem conversar, especialmente se forem sobre coisas mais complexas como sentimentos e pontos de vista…
Por isso é algo que precisa passar por um processo de construção… por isso é interessante que o “parar para conversar” (que é diferente do conversar fazendo outras coisas), faça parte do dia-a-dia…
Mas o mais legal é criar junto com seu filho essa rotina e perceber qual o melhor momento para isso para ambos (que pode mudar de tempos em tempos), para se tornar algo espontâneo de fato, prazeroso…
Entre meu filho e eu essa “pausa” geralmente é depois que chegamos da escola, na poltrona da sala, enquanto estamos de “chameguinho”. E antes de dormir também, mas mais para agradecer o foi aconteceu de legal naquele dia.
Já com meu marido, recentemente eles criaram um novo momento só deles que tem sido muito gostoso de ver! (às vezes eles também me convidam para uma “conversa de família” ❤️): todos as noites, depois de ajudar a preparar seu leite na caneca, o Pedro vai para seu quarto, senta na sua cadeirinha e “bate um papinho com o papai”. Mas o mais legal de ver é que geralmente quem começa perguntando sobre o dia é o Pedro ❤️ . Ele pede para o pai contar o que fez (e faz varias perguntas porque quer saber todos os detalhes!) e só depois disso começa a contar coisas do seu dia, perguntar coisas, etc…
Como em tantas outras coisas dentro da maternidade/paternidade, esse “papinho” não foi criado a partir de um objetivo especifico do tipo “precisamos estimular nosso filho a conversar”. Inicialmente foi uma forma que meu marido encontrou para que o Pedro tomasse o leite na caneca até o fim logo que saiu da mamadeira.. Mas olha só em que momento precioso isso se tornou???
Por isso é sempre interessante estarmos atentos às oportunidades e essas “brechas” que muitas vezes são nossos filhos mesmos que nos dão. De qualquer forma é sempre rico termos inspirações sobre como os outros fazem para criarmos nossas próprias versões não é?
Esse post  do Just Real Moms ideias de 16 perguntas para fazer ao seu filho antes de dormir, que geralmente é uma boa oportunidade para uma conversa…
Adorei a pergunta 8 e a “dica extra” 😃

E você?

Share This

Gostou deste post?

Compartilhe!