Desafios que a maternidade nos traz

Acredito educar um filho é uma das coisas mais difíceis da maternidade.

E geralmente quando usamos o termo “difícil” muitos entendem como algo ruim.

Mas não é isso que quero dizer nesse caso.

Difícil porque não é simples, porque muitas vezes não é tão “’óbvio” qual o caminho que você deve seguir ou como fazê-lo; como disse no post da chupeta, eu sabia que teria que tirá-la, ja tinha lido diversas estratégias para ajudar a fazê-lo largar mas não sabia ao certo como colocar em pratica especificamente para o meu filho…

Difícil porque tem momentos que precisamos ser firmes mas muitas vezes em outros precisamos ceder. Porque não necessariamente o nosso jeito de fazer as coisas é o melhor ou o único (e a criança nos ensina isso demais). No entanto essa linha que divide as duas situações nem sempre está totalmente clara…

Difícil porque em geral é uma tarefa compartilhada entre pai e mãe ( e muitas vezes também avós e outros pessoas), cada um com suas crenças, valores, histórias de vida e formas diferentes de lidar com as coisas e nem sempre é fácil chegar a um consenso sobre como agir, sobre o que será transmitido para os nossos filhos…

Difícil porque não é uma ciência exata, porque não temos garantias de se o que estamos fazendo agora irá de fato gerar os resultados que esperamos no futuro… porque cada indivíduo é único e não é apenas uma “caixinha” na qual você coloca coisas. Mas um ser capaz de, cada vez mais, tomar suas próprias decisões e de processar o mundo e suas experiências à sua maneira.

Difícil e extremamente gratificante.

Gratificante quando você percebe o impacto que você pode ter diretamente na vida de outra pessoa, ajudando a formar um ser humano melhor para ele mesmo e para quem o cerca, e é quando você percebe que você pode também exercer um impacto indireto no mundo

Gratificante porque você também se torna uma pessoa melhor. Não só pelo seu filho, pelo exemplo que você quer dar a ele, pelos medos e desafios que você supera por ele, e para você mesmo. Muitas vezes são nossos filhos que nos mostram o que precisamos melhorar em nós, como se fossemos nós mesmos nos olhando de fora, e nos fazem também perspectivas diferentes sobre a vida…

Gratificante pela troca que essa grande tarefa traz, pela relação que se estabelece a longo prazo, pelos laços que se estreitam, pela cumplicidade, pelo companheirismo…

É… realmente um filho faz a gente ver a vida de outra forma não é?
Share This

Gostou deste post?

Compartilhe!